ALGUNS DIREITOS RESERVADOS

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Giorn - Parte II – Luta por liberdade

Amanhecia lentamente no interior da floresta, fazendo Giorn a se mover com mais cautela e, por vezes, se esconder quando ouvia um barulho, o que o impediu de voltar para ajudar o estranho. Mas não sabia estar perto do local. Agachado, com a besta em punho, aguardou o barbudo aparecer com a “comida”, pois, após tanto tempo, já sabia a hora em que ele vinha trazer aquele humilhante banquete. De trás do arbusto onde ficou aguardando viu o homem passar distante e, minutos depois, retornar, bufando violentamente.
Mesmo afastado como estava, ele pôde ouvir o barbudo gritar com alguém, talvez o homem da outra cela, ou outro alguém, também cativo. Ele perguntava, esbravejando, onde estava o outro prisioneiro. Se o cativo teve contato com ele, se falou alguma coisa. A resposta do cativo foi negativa para todas as perguntas, mesmo tendo sido visitado durante a noite. E o pirata reconheceu a voz do homem aprisionado.
O barbudo avançou trilha a fora, gritando aos ventos que hoje teria vendido Giorn, indo em direção à velha árvore onde escondia a besta. Aproveitando a proximidade, o pirata saiu de trás do arbusto e ficou imóvel, visível ao captor. Ele ficou surpreso pois já imaginava, na atual circunstância, que Giorn tivesse fugido para longe e procurado um jeito de sair da ilha. Surpreso, mas não assustado. Lá estava o pirata, de pé a uma distância razoável, encarando o sequestrador, que não viu em suas mãos a besta, oculta pelos galhos do arbusto.
A reação imediata do grandalhão foi partir para a captura com as mãos limpas, considerando-se mais forte que o pirata, e com razão. Era mais alto e devia pesar quase o dobro de Giorn. Mas quando se aproximou, viu-se sob a mira de sua própria arma. Sem nenhum dos dois dizer uma só palavra, a luta começou. Giorn disparou contra o barbudo e o acertou no ombro. Mas o homem era forte e seguiu para cima dele, correndo. Foi o tempo necessário para recarregar a besta e, sem qualquer mira, disparar já com o grandalhão em cima dele, voando em seu pescoço. A seta seguiu direto na barriga, mas não penetrou muito. Os dois rolaram no barro, lutando com socos e chutes, numa desesperada busca pela vitória, que naquele momento tinha o significado de liberdade para um e lucro para o outro. Um motivo a mais para o náufrago se sentir obrigado a vencer, mas recebeu um golpe no queixo que estremeceu suas pernas.
O barbudo, ofegante, agarrou a besta e deu um golpe com o cabo na testa do pirata, atordoando-o ainda mais. Mas, quando ia receber o outro golpe, seus olhos se arregalaram. Giorn viu, atrás do barbudo, o outro prisioneiro, com uma pedra na mão, golpeando-o na cabeça. O inimigo caiu apagado sobre o corpo de Giorn, que teve uma certa dificuldade em remover o peso que o prendia, dificuldade resultante de um belo soco no queixo e de uma coronhada de besta na testa, além de estar fraco por causa da luta engalfinhada. O outro prisioneiro ainda golpeou a cabeça do homem caído outras vezes, garantindo sua morte.
Giorn, bastante cansado, conseguiu se levantar com a ajuda do seu novo companheiro.
— Lembre-me de nunca ser seu inimigo, hein! — comentou, metendo a mão na testa, sobre a ferida. — Agora temos que achar um jeito de sair desse fim de mundo.
— O comprador de escravos é a nossa saída daqui — afirmou o outro prisioneiro. — Aliás, me chamo Housso, sou cartógrafo marítimo e espadachim.
— Eu sou Gionr, ex-capitão de uma gloriosa tripulação de saqueadores dos mares naufragada aqui perto. E, ao que tudo indica, sou o único sobrevivente. Mas será que não tem mais daquelas jaulas asquerosas espalhadas por aí?
Housso começou a gritar, procurando outros prisioneiros, andando para vários lados do campo onde estavam. Giorn achou boa a ideia, talvez encontrasse algum membro de sua embarcação, e começou também a procurar por outros cativos. Decidiram procurar apenas naquela manhã, para evitar surpresas com o comprador de escravos. 
Os dois descobriram outras celas como as deles, todas com um homem dentro, esperando para ser vendido. Giorn teve a satisfação de encontrar dois dos seus bucaneiros, além do seu imediato. Juntando isso ao resto dos homens que acharam até o fim do dia, o pirata já tinha uma pequena tripulação formada. Todos determinados a escapar dali, mesmo que precisassem lutar contra uma armada inteira. Era assim que a vida fazia sentido para Giorn, o pirata. Ele, Housso e o imediato decidiram seguir a trilha que chegaria, imaginavam eles, na casa onde vivia o captor, logo após um riacho e uma encosta que visualizavam quando saíram da floresta. Lá certamente encontrariam armas, comida e bebida, além de um lugar adequado a um descanso e uma emboscada para o comerciante de escravos.

A paisagem matinal se desenhava diante deles, com um vale de capim verde claro dançando ao vento na encosta que precedia a montanha. Após cruzarem o pequeno ribeirão e chegarem ao topo da encosta, outra floresta se esparramava até o cume de uma montanha e, um pouco acima do seu sopé, uma clareira com uma casinha de chaminé ainda deitando fumaça podia ser vista. Era, sem dúvida, o local onde viveu o homem que os manteve em cativeiro. Talvez encontrassem comida decente e armas por lá, talvez não. Mas aquilo não importava no momento. Estavam animados, cantando velhas canções dos mares, e esvaziando a garrafa de rum encontrada por Giorn. Desenhava-se diante deles a oportunidade perfeita para aguardar o comprador de escravos e escapar daquele lugar para sempre.
.
..
...
....
.... {[CONTINUA...]}

13 comentários:

Sinho Livre disse...

olá,adorei o seu blog,em especial o texto acima.estou promovendo um "sarau" poético no blog SINAIS SUTIS (http://desenhospoeisiascomportamento.blogspot.com/) e gostaria que vc participasse.Caso não queira participar apenas o siga o blog para ser informado de eventos futuros.

obs.:
siga-me também(ao me seguir deixe-me um comentário para facilitar sua indentificação),pois já estou te seguindo.abraços.

Sinho Livre disse...

olá,adorei o seu blog,em especial o texto acima.estou promovendo um "sarau" poético no blog SINAIS SUTIS (http://desenhospoeisiascomportamento.blogspot.com/) e gostaria que vc participasse.Caso não queira participar apenas o siga o blog para ser informado de eventos futuros.

obs.:
siga-me também(ao me seguir deixe-me um comentário para facilitar sua indentificação),pois já estou te seguindo.abraços.

Muller disse...

seu blog é fera mano xD

trocaria banner contigo com todo prazer *_*

entre em contato no meu msn ou email: muller.c.r.gomes@hotmail.com

www.tabernadoviking2.blogspot.com

William disse...

Sinceramente eu gostaria de ter a capacidade de escrever contos, mas não tenho. Tenho outro estilo, e acho extremamente agradável como você faz aqui no seu blog. Li algumas postagens. Valeu a pena.
Obrigado por colocar o banner, e o seu já está no meu blog também.
Um grande abraço e ótima semana.

@blogOnirico disse...

Está de parabens pelos contos, gostei muito do estilo e linguagem dos textos.
Já coloquei o seu banner lá no meu blog e tambem estou seguindo!

http://cidadeonirica.blogspot.com

PedrO H. disse...

estou com um pouco de sono hehe, voltarei aqui para ler tudo depois, mas o que eu li já me fez admirar o blog e segui-lo.

Muito sucesso *--*

abrax

'The Dope Show'

PedrO H. disse...

Possui algum banner 120x60 para que eu possa divulgar ???
Obrigado, se aceitar parceiria entre em contato pelo blog.

Vinícius de Souza disse...

Li teus contos, bem da hora...
Tá interessado em parceria?
Eu também escrevo histórias, eu poderia divulgar teu blog no meu, e tu divulgava o meu aqui...
Tô seguindo aê, depois passa lá e me responde se aceita a parceria, se der, segue também.... XD

http://strangetalesofdeath.blogspot.com

Muller disse...

parabens, cabei de te indicar para o selo, vá buscar o/

http://tabernadoviking2.blogspot.com/2011/02/momento-congratulations.html

Muller disse...

uma dica, coloca algumas imagens no texto, sempre ajuda, parece que o texto fica pequeno o povo é smepre preguiçoso pra ler xD abraço otimo texto xD

vc foi indicado a uns selos vá buscar lá no blog abraço
http://tabernadoviking2.blogspot.com/search/label/Selos

Rosa Mattos disse...

Só passando pra ver se tinha algo mais e pra te desejar um 2012 bem produtivo.

[mudei o layout do meu Contos. agora estou numa floresta indevastada]

abraços!! tudo de bom!!
AHH, gostei de te ver por lá../

Elayne Sampaio disse...

Adoro textos de ficção/fantasia. Seu texto é ótimo. Adorei o blog e já estou seguindo. Agora, aproveito a visita para convidá-lo para uma passadinha no blog do meu livro
http://ocultos-ainsgniadaestrelanastrevas.blogspot.com.br/
Passa por lá, deixe algum comentário ou alguma dica.
Um abraço

GASPAR disse...

Muito bom! Gostei muito. Tb tenho um blog de contos. Passa lá depois.
Abs,
Gaspar

Pesquisar em Anerás